Aloe Rio Negrinho SC

Aloe em Rio Negrinho. Saiba onde comprar Aloe em Rio Negrinho. Encontre aqui endereços e telefones de médicos homeopatas, farmácias e drogarias que poderão te ajudar comprar plantas medicinais em Rio Negrinho. Aproveite e leia nossos artigos sobre Aloe.

Supermercado Germania
(47) 3644-2589
Rodovia BR-280 1005
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Marwi Supermercado
(47) 3644-0621
Rua Adolfo Olsen 507
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Minersol Supermercados
(47) 3644-3021
Rua Jorge Zipperer 200
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Açougue e Mercado Volpi
(47) 3644-1627
Rua 13 de Dezembro 361
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Supermercado Germania
(47) 3644-1000
Rodovia BR-280 2360
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Jeisiane Bruzanoveski
(47) 3644-6249
Rua João Jablonski 29
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Econômico Comércio Varejista de Alimentos
(47) 3644-2914
Rua Bar Rio Branco 4
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Mercado Neomar
(47) 3644-3218
Rua Dona Francisca 3362
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Mercado Economia
(47) 3644-7275
Rua Carlos Hantschel 338
Rio Negrinho, Santa Catarina
 
Mini Mercado Celeski
(47) 3644-0954
Rua Otto Weiss 176
Rio Negrinho, Santa Catarina
 

Aloe

ResumoAloe (babosa, no Brasil): Planta medicinal antiinflamatória e desinfetante utilizada para feridas e queimaduras, é geralmente apresentada sob forma de gel ou pomadas. NomesNomes em português: Aloe, babosa (no Brasil), aloés (em Portugal)Nome latim: Aloe vera (L.), Aloe barbadensis Mill. Nom inglês: aloeNome francês: Aloé, aloé veraNome alemão: AloeNome italiano: aloeFamília LiliaceaeConstituintes Mucilagens, antraquinonas, aloína, aminoácidos, vitaminas (E, C...), saponinasPartes utilizadas Folhas (gel das folhas=suco concentrado) Efeitos da aloe veraUso externo (em pomada, gel,...)- Antiinflamatório, hidratante, antisséptico, fungicida, desinfetanteUso interno (xarope, líquido,...)- Laxante (estimulante do intestino grosso), purgante, emenagogo Indicações aloe vera - Indicações babosaUso externo - Queimadura de pele, ferimentos, queimadura de sol, inflamações, cortes, aftas, irritações da pele, psoríase, pele secaUso interno - Constipação ocasional (utilização por curto período), vômitosEfeitos secundários Possível, porém raro: risco de desenvolver uma alergia (como todas as plantas), distúrbios gastrintestinais (uso excessivo), queira ler a bula e pedir conselhos a um especialista. Contra-indicações Gravidez em uso interno, hemorróidas (uso interno), crianças (uso interno), mulheres durante a menstruação (uso interno), queira ler a bula e pedir conselhos a um especialista. Interações Desconhecemos Preparações à base de babosa- Gel de aloe vera- Pomada de aloe vera- Protetor solar a base de aloe vera - Solução de aloe vera- Enxaguatório bucal a base de aloe vera (contra as aftas)Onde cresce a aloe vera ? A aloe vera cresce em países quentes (África), mas pode também crescer em diversos lugares do mundo inteiro. Ideal como remédio caseiro para se ter por perto em caso de pequenas queimaduras.Quando colher a aloe vera ? Você pode cortar a folha de aloe vera todo ano, para extrair o gel. Observações- Trata-se de uma planta bastante utilizada na cosmética, particularmente, como creme hidratante e como loção pós exposição ao sol. - O gel de aloé vera contém aproximadamente 90 % de água. O resto é à base de aminoácidos, vitaminas (A, C e E) e outros nutrientes. - No comércio, encontramos gel à base de aloé vera, mas é fundamental saber que esse gel é ainda mais eficaz se utilizado fresco, como neste remédio. - É interessante notar que mais de 90 % do aloé vendido no mundo para uso interno (suco e gel oral) não contém a parte laxante da planta (látex retirado). [fonte, um internauta canadense chamado Claude, que nos enviou este comentário em novembro de 2008]- Diz a lenda que a Rainha Cleópatra utilizava aloé vera, o que lhe deu toda sua beleza. O que é certo é que os Antigos Egípcios utilizavam aloé vera.- A aloe (babosa) está na lista de remédios oferecidos no SUS (Sistema Único de Saúde) no Brasil. A lista tinha 810 itens (medicamentos, vacinas, remédios fitoterápicos,...) em Março de 2012.